quinta-feira, 11 de junho de 2009

Proibido

É proibido amar!
É proibido andar!

Respirar, comer, correr,
Olhar, sentir e ver,
Cheirar, nem se fala:
É tudo proibido!

Está terminantemente proibido
Tocar, recostar-se e se acomodar,
Ouvir, também não é permitido.
Está tudo proibido!

Está proibido escrever versos sem propósito,
Tais como estes que você lê,
E usar os mapas da biblioteca,
Ou os da internet,
E os livros que não caíram em domínio público.
Proibido!

Está proibido oferecer serviços gratuitos,
Está proibido oferecer serviços pagos,
Está proibido oferecer serviços,
Está proibido oferecer-se em viço,
E se você espera que eu diga que Está proibido,
Eu digo
Digo que está proibidaço, meu amigo!

E proibir-se ou permitir-se,
Está também proibido

O que você está pensando
É realmente proibido!

Afinal de contas,
Quer saber o que não é proibido?

Não posso dizer,
Estou proibido!

Pablo de Araújo Gomes, 11 de junho de 2009